Precisamos entender o processo de crescimento na fé como um caminho feito, passo a passo, na busca do encontro com o Senhor.

A Iniciação à Vida Cristã se dá “gradativamente no seio de uma comunidade, que reflete a importância do Mistério Pascal” (RICA pag. 17). O Diretório Nacional de Catequese nos diz que Iniciação à Vida Cristã “é o processo de preparação, compreensão e acolhimento dos grandes segredos da fé e da vida nova revelada em Jesus Cristo” (DNC, 38).

São quatro os tempos sucessivos neste processo de crescimento na fé: o Pré Catecumenato (tempo do anúncio de Jesus Cristo), o Catecumenato (tempo da catequese completa), Tempo da Purificação e Iluminação (tempo da Quaresma- preparação espiritual) e Tempo da Mistagogia (vivência do mistérios recebidos).

O tempo quaresmal vivido pelos iniciandos é um tempo favorável que prepara devidamente toda a comunidade cristã para compreender, celebrar e vivenciar o Mistério Pascal da paixão, morte e ressurreição do Senhor Jesus.

Este tempo supõe, por parte de todos os cristãos, uma verdadeira conversão a Jesus Cristo, de toda a sua vida, uma fé esclarecida e vontade de receber os sacramentos por parte dos adultos que são catecúmenos e dos que já foram batizados. A comunidade acompanha os que estão neste processo, com o seu testemunho no empenho da escuta e vivência da Palavra de Deus, na oração e mediante nas celebrações de penitência, renovando sua opção e adesão ao seguimento de Jesus Cristo.

A quaresma é um caminho, assim como a Iniciação à Vida Cristã, que conduz à vida nova da Páscoa. Jesus Cristo, por seu Mistério Pascal, realizou a eterna aliança com o povo de Deus.

Os exercícios da prática quaresmal, bem assumidos, ajudarão os seguidores de Jesus a viverem uma contínua conversão que não consiste apenas na participação em um ritual, mas uma plena experiência profunda e inserção no Mistério Pascal de Cristo. Mistério que atua no presente, em nossa vida diária.

_________________________________

Irmã Marlene Bertoldi
Serviço de Animação Bíblico Catequético

Via Jornal da Arquidiocese de Florianópolis

Comente