Conservai a Palavra de Deus como conservais o alimento. A Palavra de Deus é um pão vivo, é o alimento da alma. O pão material, enquanto guardado, poderá ser roubado por um ladrão, roído por um rato ou envelhecer e se deteriorar. Uma vez consumido, porém, não há mais que se temer tais acidentes. Conservai assim a Palavra de Deus, pois felizes os que a guardam. Que ela se extravase em vossas afeições e em vossos costumes. Comei-a fartamente, a vossa alma saciada se rejubilará. Não vos esqueçais de comer vosso pão a fim de que o vosso coração não se resseque, mas alimentai-o e fortalecei-o com uma substância rica e fecunda. Se guardais a Palavra de Deus, certamente sereis guardados por ela. O Filho de Deus virá a vós com seu Pai” (São Bernardo).

O mês de setembro foi declarado o mês da Bíblia devido a festa de São Jerônimo que foi tradutor e exegeta da Bíblia. Para ele, “ignorar as Escrituras é ignorar a Cristo”. A Bíblia é um dos livros mais conhecidos do mundo. Sabemos que a Bíblia existe. Ela é a Palavra de Deus. Mas mesmo assim existem casas que não há Bíblia, noutras ela é um enfeite, noutras um livro qualquer. Temos um tesouro em nossos lares que é a Palavra de Deus, e muitas vezes não damos o valor devido. Precisamos rezar com a Bíblia, fazer a leitura orante: ler, meditar, rezar, contemplar. Esta é a porta de entrada para um entusiasmo bíblico e a consequente transformação da vida e da realidade. A meditação da Palavra deve ser diária e quando isto acontece ela transforma a minha vida, o meu comportamento, pois aqueles que leem a Bíblia progridem na vida do evangelho. Agora, quando isto não acontece o processo de conversão se torna lento.

A parábola do semeador (Mt 13,4-9) nos mostra o tipo de pessoa que nós somos com relação à Palavra de Deus. O semeador deixou cair sua semente em quatro tipos de terra diferentes. Na terra à beira do caminho as aves vieram e comeram. A terra cheia de pedras, onde a semente brotou, mas como as raízes não tinham profundidade, secou com o sol. A semente que caiu e brotou entre espinhos que, sufocada, não deu frutos. E a semente que caiu em terra boa, dando muito fruto. Jesus mesmo comparou a semente com a Sua Mensagem, com a Sua Palavra. Os corações são a terra que recebe esta palavra. Quantos corações de pedra, cheios de espinhos, ou a beira do caminho: a semente cai, não frutifica, e acaba morrendo. Quantos corações assim, ouvem a Palavra de Deus mais não se transformam, não mudam, continuam sempre a mesma coisa. Somente quando abrir o meu coração e me colocar a disposição para a mudança, é que a Palavra produzirá frutos. Tenhamos um coração de terra boa, adubada e fértil, onde a semente da Palavra seja semeado e produza frutos e frutos em abundância. Somente quem abre o coração e coloca a Palavra em prática é capaz de se transformar. Para que isto aconteça precisamos dar um passo e o que proponho é que cada pessoa tenha a sua Bíblia PESSOAL. Talvez na sua casa já tenha a Bíblia. Uma Bíblia para a família toda. A partir de hoje tenha a sua Bíblia. A partir deste mês de setembro convido você a trazer a Bíblia para a Igreja. Assim como eu preciso do pão de cada dia para sustentar o meu corpo, eu preciso da Palavra de Deus para manter a minha alma. Precisamos ter um “coração bíblico”, um apego e familiaridade com a Bíblia para que a Igreja renove suas forças. A Palavra de Deus, mais precisamente a Bíblia, deve estar na mão de cada criança, de cada jovem, de cada casal, cada cristão. Não podemos ser analfabetos bíblicos, nem tomar rotineira a Palavra viva, fecunda e eficaz. Só podemos ser discípulos com a Bíblia na mão, no coração e pés na missão.

E com a Bíblia na mão e no coração podemos seguir alguns passos importantes para ler eficazmente a Palavra de Deus.
1-Seja fiel, leia a Bíblia todos os dias. Leia quando tiver vontade e quando não tiver também! É como remédio: com ou sem vontade, tomamos, porque é necessário. Com a Bíblia é a mesma coisa. E nos tempos em que vivemos, isso é premente.
2-Tenha uma hora marcada para a leitura e meditação. Descubra qual o melhor período para você. Seja de manha, a tarde ou a noite. Marque a duração da leitura: Esta é outra regra de ouro: marque a duração da leitura e seja-lhe fiel. Seja sério consigo mesmo.
3-Escolha um bom lugar: Ter o cantinho da gente é muito bom. E não precisamos de nada especial; o que importa é contar com um lugar tranquilo, silencioso, que facilite a concentração e favoreça a criação de um clima de oração. Faz bem, ir todos os dias para o nosso cantinho e nele fazer o nosso trabalho com a Bíblia.
4-Leia com lápis ou caneta na mão: Não se trata de simplesmente ler; devemos fazer uma leitura ativa. Um meio simples, mas eficaz é ler com lápis ou caneta na mão. Sublinhe as passagens mais importantes, tudo o que chamar a sua atenção, as coisas que lhe falaram e que o tocaram de modo especial. É até bom ter uma caneta de quatro cores e usar ora uma ora outra. Isso ajuda: ponha trechos em destaque, diferencie.
5-Utilize sinais que tenham sentido para você, faça anotações, não tenha medo de riscar a sua Bíblia. Ela é um instrumento de trabalho. Você vai ficar com a Bíblia bem marcada; vai ser fácil você se lembrar das passagens e encontrá-las quando procurar. Além disso, facilita a concentração na leitura, o entendimento da mensagem e a impressão do que é lido na mente e no coração.
6-Faça tudo em espírito de oração :Você não está apenas lendo a Bíblia, você está buscando um encontro com a Palavra de Deus. Está à procura de um contato íntimo com a Palavra Viva do Deus, que fala a você. Trata-se de um diálogo: você escuta, você acolhe, você se toca, se sensibiliza, responde. É um encontro vivo entre pessoas vivas, um encontro de pessoas que se amam mutuamente. Muitos experimentaram essa relação. Experimente você também. O principal interesse de Deus não é tanto fazer você escutar, mas falar com você. Ele deseja instruir você, quer conduzi-lo ao conhecimento da verdade. Por isso, esteja atento, fique alerta; mantenha-se numa atitude de expectativa. Deus tem algo de bem pessoal e concreto para lhe dizer!

Pe. Mário José Raimondi
Pároco

Comente